UTMB 2016 | OCC 55 kms | 3500 D+ | Parte 1

Isto sim é uma montanha!

Foi isto que senti quando cheguei a Chamonix!

Eu sou um sonhador! E acredito que os sonhos são para se concretizarem em vida!

Quando recomecei com a corrida e principalmente com o trail, sonhava em correr naquelas paisagens de filme que eram as do UTMB! Tudo o que me chegava à vista, alimentava mais esta vontade, o ambiente, os relatos…

Primeira etapa juntar pontos suficientes para me candidatar ao sorteio. O plano era megalómano para quem pensava dar um passo maior do que a perna. Tinha em 2015 o objectivo de cumprir 3 ultras, duas delas com mais de 100 kms. MIUT, Oh Meu Deus e UTAX e CCC em Mont Blanc em 2016.

Um ano complicado a todos os níveis, onde só consegui fazer o MIUT, passear pela Ultra do Monte da Lua para colecionar mais uns pontos e ficar pela metade no UTAX (primeira desistência em prova). Felizmente, porque me obrigou a reavaliar objectivos e a organizar um ano 2016 com os pés bem assentes na montanha, por onde passava a hipótese de fazer a OCC no UTMB 2016.

OCC, 55 kms, 3500 D+. 1677.  3º objectivo da época ou melhor, o objectivo!

E assim começou esta aventura com os resultados do sorteio no início do ano.

Inscritos: 1255 homens e 422 mulheres. 36 portugueses: 26 homens e 10 mulheres

Vamos saltar 8 meses de preparação e passar para dia 23 de Agosto de 2016.

20160823_153232

Chegada a Chamonix como um sorriso de orelha a orelha,  a paisagem, o ambiente, atletas a treinar e a meta mesmo à porta do hotel.

20160823_132422

Afinal eu iria correr com o Xavier Thevenard! Pelo menos iria vê-lo a fugir de mim na partida.

Como em todos os grandes desafios a adrelina mistura-se com medo. O treino estava feito mas nestas provas, inúmeras variáveis podem mudar o rumo da história. As condições meteorológicas, a alimentação durante a prova, o tipo de terreno, algum acidente de percurso… tanta coisa pode acontecer numa prova com tempo limite de 14h30m.

20160828_160409

Tudo começou com esta mensagem, previsão de 36º C acima dos 1000 metros. Rever estratégia de prova, principalmente nas etapas mais longas, entre postos de abastecimento.

E aqui volta aquele medo bom misturado com a adrenalina, o medo do desconhecido que faz parte de um grande desafio.

Dia de levantar o dorsal e passar pelo controle de equipamento, onde encontrei uma organização muito simpática e assertiva no que diz respeito ao material obrigatório. Eu e muitos outros atletas tiveram que substituir o casaco impermeável, porque não cumpria os requisitos mínimos. E apesar das previsões de bom tempo, tudo pode mudar na montanha e só a nós nos podemos valer, mesmo sendo uma prova em semi-autonomia.

20160825_041658

Valeu o encontro com a Anabela Rodrigues e outros amigos que me deram dicas muitos úteis na gestão do percurso.

Plano e mala revista e na oite anterior ao dia D e na insónia da ansiedade assistia à chegada dos atletas da TDS.

20160823_100507

Que grande festa do desporto que este UTMB é! Até às 4h30, público e familiares esperavam, hora em que tive de acordar para me preparar e seguir para o transporte que nos levaria para Orsiéres, local da partida.

E aventura continua com segunda parte deste relato na próxima quinta-feira dia 1 de Setembro.

Boas leituras em Companhia!

 

Apoios Corridas & Companhia 2016

Physiokinesis Clínica Fisioterapia   |  Bemnutrir | EU nutrition | Rapid Fit Well

 

* foto Pedro Barbeitos

 

 

 

Anúncios