Carlos Sá no pódio da Marathon des Sables 2016

O português Carlos Sá terminou a Maratona das Areias em  segundo lugar por equipas, depois de ter concluído a quinta e última etapa no oitavo posto da geral na corrida no deserto do Saara, em Marrocos.

Concluiu a competição em 23:59.57 horas, a 2:58.36 de Morabity, que bateu os compatriotas Mouaziz e Aziz El Akad por 4.17 e 1:06.09, respetivamente.

Numa prova com um recorde de 1300 inscritos, Portugal esteve ainda representado por António Marinho, que foi 67.º, a 11:38.01, José Silva, 72.º, a 12:06.52, Carlos Soares, 179.º, a 21:57.01, e João Silveira, 189.º, a 22:19.55.

Carlos Sá, um exemplo de motivação, força e dedicação aos seus objectivos! Deixo-vos aqui a mensagem, partilhada na sua página do facebook:

“Um enorme obrigado aos meus patrocinadores e a todos vós pelas mensagens de apoio.

Voltar ao Deserto este ano não estava nos meus planos, não encaixava nada bem no calendário exigente que tenho pela frente, e com desafios tão distintos é impossível treinar especificamente para cada um ao mesmo tempo, mas não pode dizer não a esta nobre causa solidária e correr em equipa com o homem que me pôs a correr e com outras lendas da ultramaratona, não tenho palavras para descrever este Sr. Olmo e o espírito de sacrifício do Harvey que nada lhe correu como esperava e se “arrastou” até ao fim em prolo da equipa, fazendo-me lembra o esforço descomunal físico e psicológico que passei no ano passado onde tudo me saiu ao contrário também.

Acabei por fazer uma gestão de prova muito boa e superar até os objetivos, quando estava em sofrimento focava-me em coisas tão diferentes como:
– 15h diárias de esforço na Groenlândia será brutalmente pior e terei de superar isso também.
– Do Paulo Pinto que espalhava mágica pelas corridas a pedir-me emocionado no final da Gerês Marathon ajuda para um dia cumprir o seu sonho de vir ao Deserto e no dia seguinte sofrer um brutal acidente que o limita para o resto da sua vida.
– Da Sofia que sofreu um dos piores dramas que uma mulher pode passar mas como lutadora que é está a superar o mesmo.
– Da minha família e tantas outras pessoas e imagens que me acompanharam nesta longa viagem que nos dão força, que torna fácil correr dia após dia com enormes bolhas nos pés, passar fome e já não suportar a pouca comida que temos, tentar dormir mas o vento e a areia a fustigar constantemente, com as pernas a dizer que chega mas a ter de ligar o piloto otmático e continuar com todo o gás,…..

Como disse anteriormente este será o meu último ano na maratona das areias, fica por cumprir um sonho que era correr em equipa totalmente Portuguesa e competitiva, para tentar este pódio que acabo de conseguir com a equipa Internacional, mas como sei ser praticamente impossível conseguir sponseres em Portugal para essa mesma equipa vai ficar esse desejo por cumprir.

Obrigado a todos mais uma vez e a muitos de vós até Domingo no Trail Solidário de Ponte da Barca e Arcos Valdevez no arranque de mais um Peneda-Geres Trail Adventure.”

 

Bons treinos em COMPANHIA!

 

Apoios Corridas & Companhia 

Physiokinesis Clínica Fisioterapia  |  Bemnutrir  |  EU nutrition

 

Fonte: Jornal de Noticias e Carlos Sá Facebook

Anúncios