Suplementos nutricionais parte 1

 

Actualmente, estão-se a dar mudanças na nossa alimentação, por isso há uma preocupação crescente relacionada com a alimentação saudável e com a prática de exercício físico regular para o bem-estar dos indivíduos. Adquirindo hábitos saudáveis alcança-se uma vida sadia. Mas nem sempre os hábitos mais saudáveis são postos em prática, levando a uma diminuição do aporte de vitaminas e minerais, por isso, só uma pequena percentagem dos indivíduos é que consegue que os níveis dos nutrientes sejam apropriados. Isto porque há um consumo elevado de alimentos pré-confecionados e congelados (com a presença de corantes e conservantes), de fast-food, o abuso de gorduras e açucares, refeições reaquecidas (que destroem os nutrientes), e estas atitudes reflectem-se no consumo dos vegetais, das frutas e produtos integrais. Por outro lado, o recurso aos adubos e fertilizantes, o desgaste dos solos, a poluição atmosférica e além disso a falta de atenção que se têm dado às qualidades nutritivas dos alimentos colaboram para a perda do valor nutritivo dos alimentos.

Para além dos factores externos, existem ainda factores internos (do próprio individuo) que caracterizam o estilo de vida moderno, prejudicando bastante o nosso organismo. Assim estamos sujeitos ao stress diário, à falta de exercício físico, ao tabagismo, pouco repouso, entre outras, e é devido a todos estes factores que o interesse pela suplementação tem vindo a crescer.

A suplementação visa a prevenção e o tratamento de determinadas situações. Pelo simples facto de se tratar de substâncias mais naturais, com efeitos secundários muito reduzidos ou inexistentes, o seu uso surge como uma alternativa. Actualmente, os suplementos alimentares são uma realidade e um auxílio fundamental para o nosso bem-estar, principalmente quando se trata da prevenção.

Embora haja uma consciencialização para uma alimentação racional, regra geral, a norma continua a ser a mesma: maus hábitos alimentares. Apesar da nossa saúde só se tornar mais débil a longo prazo com estes hábitos (ou seja, um consumo elevado de gorduras e açucares faz com que se tenha menor apetência para o consumo de legumes e frutas), os indivíduos que apresentam uma saúde mais frágil, podem ter implicações mais imediatas, ou porque há uma fraca absorção dos nutrientes ou porque o seu estado de saúde exige uma necessidade aumentada, e que poderão beneficiar com estes suplementos.

O que são ?

A legislação não está bem definida para os suplementos alimentares. A dificuldade reside no facto destes serem englobados na legislação alimentar e na legislação clínica, não sendo nenhuma necessariamente apropriada. A grande maioria dos suplementos, são classificados de alimentos, desta forma, não estão sujeitos aos rigorosos exames e análises de que são os medicamentos. Assim os produtores não estão autorizados a colocar na rotulagem, que estes evitam ou curam doenças. Mas podem afirmar possíveis benefícios para a saúde, como “reforçam as suas defesas naturais” ou “ajuda a digestão”.

Quais são ?

São comercializados uma grande gama de suplementos, desde os suplementos vitamínicos até aos minerais, passando pelos de aumento de massa muscular e de perda de peso. Uns vão ser usados para a prevenção de patologias, outros para uma terapêutica, mas ainda há quem recorra para um complemento à alimentação. Por isso é aconselhável obter informações sobre os tipos de suplementos existentes no mercado antes de os comprar.

Exemplos:

A suplementação alimentar vai ser dividida em:

  • Suplementos Nutricionais que englobam:
    • Suplementos Vitamínicos – as Vitaminas do complexo B só são recomendadas quando existe fadiga e fraqueza constante. A Vitamina C quando tomada previne a gripe. A vitamina E tem um elevado poder antioxidante, neutralizando os radicais-livres, evitando desta forma diversos tipos de patologias. A utilização da vitamina K visa a prevenção ou o tratamento de hemorragias.
    • Suplementos Minerais – o Fósforo, vai actuar na formação e na conservação dos ossos e dentes. O Boro vai ter uma acção diurética, actua na obesidade e celulite. O Ferro é usado em alguns tipos de anemia, atrasos de crescimento, hemorragias, puberdade e gravidez. O Cálcio é fundamental para o crescimento, gravidez, aleitação e na osteoporose. O Zinco é utilizado no atraso de crescimento, menstruação abundante, menopausa.
  • Suplementos de Aumento de Massa Muscular – quando num treino se aplica todo o esforço e se dá toda a intensidade, precisa-se de algo para recuperar energias. Assim este tipo de suplementação proporciona as condições anabólicas necessárias para o crescimento e para a recuperação muscular. A Creatina vai ser utilizada como potenciador da força, favorecendo durante o exercício, mais repetições, mais séries aumentando desta forma o peso, devido ao aumento da massa muscular e da retenção de água, todavia não apresenta efeitos secundários. A HMB (metabolito do aminoácido leucina para além de promover o aumento da massa muscular e a diminuição da massa gorda, acelera a regeneração muscular, alivia as dores musculares e diminui a pressão sistólica e o colesterol LDL. A Whey Protein (proteína do soro do leite) é utilizada devido ao seu alto valor biológico, solubilidade e biodisponibilidade; tem um elevado poder antioxidante, reforça o sistema imunitário, melhora a performance muscular aumentando a massa muscular magra e reduz a percentagem da massa gorda.
  • Suplementos para Perda de Peso – este tipo de suplementos, juntamente com a prática de exercício físico regular, pode ajudar à perda de uns quilos a mais, de uma forma natural e segura. O CLA – Ácido Linoleico Conjugado – reduz a capacidade dos adipócitos (células que acumulam gordura) oxidando as gorduras em circulação assim, há uma perda de peso e de massa gorda, preservando a massa magra. A L-Carnitina vai actuar como um “apanhador” de gorduras em circulação, transportando-as para as mitocôndrias, para serem usadas como fonte energética. A Sinefrina é um alcalóide natural presente na laranja amarga, é usado no controlo do apetite, além disso, aumenta a termogénese e o metabolismo, que por sua vez, vai aumentar a eliminação da gordura e aumentar a energia, prevenindo ainda a perda da massa muscular.

 

Como se deve tomar ?

Os suplementos devem ter nos rótulos instruções de uso, contudo há casos em que isso não acontece, por isso deve-se pedir sempre a auxílio de um técnico.

É importante seguir estas recomendações:

– não se auto diagnostique, se apresentar algum tipo de sintomatologia deve ir procurar um técnico de saúde, porque as modernas técnicas de diagnóstico são fiáveis, para a detecção da doença.

– relatar todos os sintomas ao técnico de saúde, referir a medicação que faz e informar quaisquer suplementos que faça, pois poderá haver alguma interacção entre estes.

– discutir a necessidade da ingestão de suplementos com o técnico de saúde, particularmente se sofre de alguma patologia crónica, como a diabetes por exemplo.

– nunca abandonar a medicação prescrita, pois a ingestão de suplementos podem completar a terapêutica.

– é preciso comprar com cuidado, não existe garantia de pureza, pelo que cabe a cada pessoa escolher as marcas com reputação de qualidade.

– nunca se deve exceder as doses recomendadas.

– observe as suas reacções, ao primeiro sinal de dúvida, deve-se suspender o suplemento.

– fazer um intervalo, se estiver a utilizar suplementos no tratamento de uma patologia, é recomendável tomá-los durante um determinado período, depois deve-se suspender temporariamente para verificar se o seu estado de saúde melhorou.

Preparados e Formas

A quantidade de formas e dosagens destes produtos existentes no mercado são tantas que podemos encontrar o suplemento mais adequado para nós, como também nos confundir no acto da compra.

Formas

– Comprimidos e Cápsulas: são fáceis de acondicionar e usar e apresentam um prazo de validade maior que as outras formas.

– Pós: para indivíduos com dificuldades de ingestão, criou-se esta forma, que podem ser dissolvidos em água, em outros líquidos ou misturados na comida. O seu custo, normalmente, é inferior aos dos comprimidos e cápsulas.

– Líquidos: facilidade de ingestão e podem ser aromatizadas.

– Comprimidos mastigáveis: muito utilizada para pessoas que tem dificuldade em engolir comprimidos. Devem ser mastigados e nunca engolidos, não necessitam de serem tomados com água e são ricos em açúcares ou adoçantes artificiais.

– Minerais Quelatados: combinação dos minerais com outras substâncias que podem ser tanto orgânicas como inorgânicas, para uma melhor absorção do mineral no organismo.

 

(continua na parte 2 do artigo no próximo dia 14 de Maio)

 

Elaborado pelo nutricionista Alexandre Fernandes/ Bemnutrir

 

Bons treinos em COMPANHIA!

 

Apoios Corridas & Companhia 

Physiokinesis Clínica Fisioterapia  |  Bemnutrir  |  EU nutrition

 

*foto Eunutrition

 

 

Anúncios