V Trail Montes Saloios

A prova que não era para acontecer (pelo menos para mim) veio a revelar-se uma boa surpresa.

Já começo a achar que o universo se encarrega de dar-me estes momentos que já só podem ser encarados com uma boa gargalhada.

Mesmo sendo uma prova para treinar e pôr algum desnível nas pernas, tenho sempre a mesma disciplina de rever o gráfico de altimetria do percurso e preparar a mala e equipamento para o dia seguinte.

12744128_459966464196046_5006017038333639979_n.png

E é aqui que começa a minha aventura, sair de casa em direção às Covas do Ferro. Como se vai tornando hábito por estas bandas, o carro estava na reserva e fui obrigado a parar para abastecer.

Mas antes encontrei logo o primeiro obstáculo, operação STOP à saída do Campo Grande para apanhar os que regressavam da movida lisboeta.

Claro que não fiquei retido durante muito tempo porque pela minha indumentária, perceberam rapidamente que não era o alvo.

Duzentos metros à frente e chego à bomba e ao pagar percebi que não o podia fazer. A carteira tinha ficado em casa. Apesar dos 20 minutos de margem que tinha para imprevistos, foi voltar a casa e fazer tudo outra vez em velocidade relâmpago.

A prova começava às 9h00 e lá consegui chegar pelas 8h29 e sem parar para abastecer. Corri em direção ao secretariado para levantar o dorsal e deparei-me com uma fila que pensava ser do controlo zero. Era a fila para os dorsais com 30 minutos de espera pelo menos!

12688303_1672974312962198_1249216841047154587_n.jpg

A partida seria atrasada em 30 minutos. 45 minutos para levantar o nº131 e siga para o controlo zero no pavilhão multiusos.

12734052_1279335055492010_4976182984788569562_n

Finalmente começavam os 25 kms com 1250 D+. Partida na linha da frente determinado a puxar ao limite, correr todo o percurso.

Como cereja no topo do bolo dos esquecimentos, tive de correr “às cegas”. Telefone em modo avião porque gastei quase a bateria com o GPS para chegar a Covas do Ferro e o Arrival tinha ficado no carro.

Sim já mais nada poderia acontecer (pensava eu!).

Sem referência do ponto de situação, optei por focar-me nos dois pontos de abastecimento aos 9 e 18 kms.

O percurso tinha de tudo, estrada, estradões de terra batida, single tracks, subidas acentuadas, descidas rápidas, mais ou menos técnico. Mas os dois maiores obstáculos foram a lama e o vento.

A primeira já começa a ser um requisito obrigatório neste Inverno e um limitador de velocidade para alguns. Estes momentos de spa serviram para testar ao máximo o treino funcional que faço. Um misto entre o equilíbrio necessário para as deslizadelas imprevistas e o risco do “excesso” de velocidade nestas zonas.

O segundo obstáculo foi o vento, que apesar de ter ajudado em algumas subidas, ainda derrubou-me um par de vezes de rajada nas zonas das eólicas.

A gestão da alimentação foi feita sempre em corrida, sem parar nos abastecimentos. Apenas no segundo fiz um refill do flask, mas em versão pitstop fórmula 1.

Tive mais um episódio caricato nos últimos 7 quilómetros quando ia comer a minha última barra. Meti a embalagem à boca para abrir e para minha surpresa, uma nuvem de pó branco instalou-se imediatamente, deixando um rasto ainda maior com o vento.

Não consegui parar de rir com a imagem, não me apercebi e abri uma saqueta de isotónico.

Lá tive de me aguentar para a fase final com o combustível que tinha. Querendo manter o ritmo de prova nas últimas descidas técnicas com lama, tropecei e aterrei com toda a força em silvas. Passatempo certo da noite foi tirar espinhos das mãos. Foi motivo para abrandar um pouco, mas sem desmotivar, prego a fundo para terminar em grande.
12729140_1673053576287605_3238952555941445666_n

Não há foto que expresse melhor esta prova. Dei tudo o que tinha e não podia estar mais satisfeito vamos apenas com dois meses de novo plano de treino.

Tenho corrido por estas zonas e saio sempre de alma cheia.

Boa prova sem dúvida e fica no calendário 12 de Fevereiro de 2017 para a próxima edição.

 

03:01:14, 116º lugar da geral de 389 atletas que terminaram a prova.

 

Resumo:

Pontos positivos | + percurso + equipa de voluntários + marcações

Pontos negativos | – entrega de dorsais  – atraso na prova

 

Boas provas em COMPANHIA!

 

 

Apoios Corridas & Companhia 2016

Physiokinesis Clínica Fisioterapia  |  Bemnutrir  |  EU nutrition

 

* fotos –MBM Run & Foto Team e M_F_Borges Runners Photos

Anúncios