UTAX 2015 – parte 2

 

Começa a prova e ficamos logo parados no primeiro single track com que nos deparámos.

Tendo partido na cauda do grupo apanhei todo o congestionamento causado pelas pedras escorregadias que marcavam o percurso.

E com isto as primeiras quedas e bem aparatosas. O radar anti-quedas ainda ficou mais em alerta. Tanto que dava origem ao primeiro episódio digno de um momento “Isto Só Vídeo. Numa das zonas complicadas ouvi alguém a cair atrás de mim, sem parar olhei para trás para ver se era preciso ajuda, quando olho para a frente, ZÁS! Cabeçada monumental num tronco e directo para o chão! Deve ter sido uma fracção de segundos, levantar e seguir caminho.

Se a atenção estava redobrada, depois disto ainda mais.

Primeira fase seria avançar o mais possível durante a noite. Primeiro posto de abastecimento tudo ok, quase duas horas depois do arranque, muito demorada a progressão.

Contas rápidas de cabeça e o resultado foi  uma primeira previsão demolidora de qualquer motivação.

Altimetria UTAX 2015

Ponto mental para continuar seria terminar a noite e depois logo se via.

Segundo abastecimento aos 22 kms no hotel Palácio da Lousã e já a taxa de desistência era digna de referência, pelo menos para mim.

A progressão era lenta e só aumentou quando o sol nasceu. E que como ele nasceu! Que experiência! Bem lá no alto… ver o sol nascer e quase voar com o vento que estava.

E a partir daqui pouco há a contar. A descida faz-se rápida e só abrandou com uma senhora queda.

Nos kms que se seguiram geri mal o combustível e calculei mal o próximo abastecimento e com o cansaço acumulado arrastei-me penosamente.  O sono começou a vencer-me como se tivesse uma muralha às costas. Nada funcionava… tinha de desistir.

De…sis…tir… esta era a palavra chave e a decisão mais sensata.

Nesta organização tenho de salientar a simpatia e ajuda de todos os voluntários que nos postos de abastecimento nos alimentavam o corpo e a alma.

Esta aventura não podia terminar melhor! Uma viagem de regresso a Miranda de Corvo nas traseiras de uma carrinha com o Nuno Girão e outros, onde apesar do cansaço e desilusão desenhadas nos nossos rostos, as gargalhadas e olhares cúmplices prevaleciam nesta  viagem peculiar.

Para rematar uma chanfana de cabrito e um futuro para pensar.  Outros desafios virão. Deste a promessa de um regresso.

Resumo:

Pontos positivos | + voluntários +apoio durante a prova

Pontos negativos | – nada a apontar

 

Boas provas em COMPANHIA!

*fotos de Pedro Barbeitos e AXTrail

Anúncios