Crónica II diário de um ultrarunner

Esta não é uma crónica normal, é uma verdadeira epopeia. Há muito tempo que não escrevo, apesar de tomar notas sobre o desenvolvimento desta época.

2015 tem sido um percurso com muitos obstáculos e preparar uma época ultra não é pêra doce.

Percebi agora que não lanço uma crónica sobre esta aventura desde Fevereiro, fiquei no primeiro mês de treino e olhando para trás, tanto se passou.

Entre maleitas, cansaço, vitórias e algumas derrotas.

Que o obstáculo maior fosse a maldita gripe, que me arrasou na quarta semana de treino.

Com as dores agudas que fiquei no último treino longo, decidi que tinha mesmo de fazer uma visita ao João Ribeiro para perceber o que se passava com a máquina.

Visita marcada para o início da quinta semana e claro está, levei um raspanete daqueles de acordar qualquer metabolismo.

“Nunca te vi tão mal.”, fez logo despertar todos os meus sensores de alerta. Eu sou daquelas pessoas que sob pressão reage imediatamente. Ao ver toda a época comprometida, ouvi todas as reprimendas e conselhos atentamente.

1º ponto do diagnóstico: tinha alimentado muito mal a minha máquina com o combustivel natalício tóxico, capaz de entupir qualquer motor.

2ºponto do diagnóstico: a paragem quase total pós Arrábida Ultra Trail foi a maior estupidez à face da terra! ” Tu voltaste ao início!” – disse-me o João. O quê??? Início do quê? “De tudo!” Pensar que tinha feito reset a um ano de treino, foi a gota de água!

Ok já pusemos sal nas feridas que chegue. Vamos passar à ação.

1º passo da recuperação (depois de levar uma tareia de torce e estica com lágrimas nos olhos.)

DETOX

“Tens de passar 3 dias a sopas, fruta e legumes.” Prontamente aceitei, mas por trás o meu diabinho que sabe que não sou fã de fruta ria-se às gargalhadas… tapei-lhe a boca e lembrei-me que tinha lido à pouco tempo um artigo sobre os famosos greenjuices e que talvez isso  poderia ajudar (acabei por escrever um artigo recentemente).

Toca a passar a noite a ler sobre sumos verdes, prós e contras, receitas… 3 dias de experiências de despertar qualquer paladar. Ficam aqui algumas receitas:

fotografia 4_1

fotografia 1_2   fotografia 5_1 fotografia 5_2

Para quem nunca experimentou este tipo de dieta, aconselho vivamente! Literalmente senti que fiz uma limpeza no organismo. E passei a integrar um dia de limpeza semanal na minha dieta:

– Greenjuice de manhã  + frutos secos;

– Sopa + salada (almoço e jantar);

– Fruta e frutos secos a meio da manhã e tarde.

2º passo da recuperação

CORE + FLEXIBILIDADE + SMR todo o santo dia até retomar corrida. Tão adormecidos que estavam os meus músculos…

Para testar dois treinos de corrida leve, 5 kms cada.

fotografia 3_2ai o frio matinal

Nova visita para torce e estica. Como da noite para o dia, as mudanças saltavam à vista! Com quase 2 meses de atraso no treino previsto, faltam 6 semanas até ao primeiro objectivo, 50 kms no Inatel  Piodão Ultra Trail e 8 para os 85 kms do MIUT.

Treinos bidiários para acordar o corpo e fazê-lo reagir, pelo menos duas vezes por semana. Proibido sobe e desce do trail, só estrada.

Apesar de mais suaves, as dores continuam presentes.

fotografia 1(1)

semana 5 e 6 de treino

Semana 5 concluída em recuperação e na semana 6 já pude contar com o treino com o João Ribeiro, na companhia do Miguel Neves. Primeira semana com um treino mais longo de 15 kms a correr bastante bem.

11007640_10206291413431132_406784633_n treino de força orientado pelo grande Jonn

O treino foi progredindo dentro da normalidade e com aumento de carga exponencial. E na semana 8 voltamos ao trail. Saudades de correr em Monsanto e finalmente o primeiro longo em Sintra.

fotografia 2(1)semana 7 e 8 de treino

E já vamos em Março.

Mais duas semanas com a ajuda do João e do Miguel e o corpo começa a acusar algum cansaço da dose reforçada!

E a a primeira prova já no final do mês. Na semana 10 ao começar mais um treino longo em Sintra fiquei pelo 1º km, as dores voltaram e tornaram-se insuportáveis.

Novamente o mesmo ciclo a 15 dias da primeira prova no Piodão, cenário que se manteve até à semana anterior. Algumas idas ao mecânico, muita flexibilidade, rolo, etc. E primeira prova cancelada a pensar no MIUT no ínicio de Abril.

Já a motivação tinha dado a volta toda à montanha russa e a 3 semanas dos 85 kms do MIUT não conseguia fazer 2 kms. O pensamento tentava manter-se positivo, mas quando correr se torna um tormento por causa das dores,  temos de encontrar forças nas pequenas conquistas.

É muito importante termos delineado um plano a médio-longo prazo. Conduz-nos numa direção, mas a conquista é diária, cada dia de treino é uma vitória ou derrota.

IMG_2415

último longo antes do MIUT

E chegámos a Abril com o pensamento no dia 11 e os 85 kms do MIUT! Todos os dias um misto de excitação e medo ocupavam o meu tempo. Mas a preserverança levou-me ao MIUT numa das maiores experiências que tive com a corrida e principalmente com o trail.

Foi praticamente  um mês em que o plano previsto foi por água abaixo, isto é, teve de ser adaptado entre reforço muscular, flexibilidade e testes de corrida para avaliar a situação. Já com alguns ciclos de treinos, percebo que o meu pico de forma consegui atingir para o Arrábida Ultra Trail e que desde então ainda não consegui recuperar.  Como sou um rapaz que gosta de pôr em causa a matéria dada, tento analisar o que podia alterar, para melhorar o rendimento, diminuir os períodos de recuperação, reduzir a incidência de lesões…

Apesar da satisfação imensa de ter concluído o MIUT, tem acontecido com frequência dias após uma conquista, chega a insatisfação. O desejo de fazer melhor, de ir mais além! Não necessariamente ganhar, que tenho os pés bem assentes na terra, mas o desejo de me superar. E quando começamos a ter pontos de comparação de conquistas anteriores, torna-se mais frequente querer juntar o que de bom tivemos em cada vitória alcançada.  Quase como construir o protótipo ideal para alcançar a meta.

IMG_2484

a tão desejada meta

Recuperação feita do MIUT e toca a delinear, ajustar as semanas de treino que faltam até ao próximo objectivo, os 100 +  do Oh Meus Deus na Serra da Estrela em Junho!

Brevemente nova crónica sobre Maio !!!

Bons treinos em COMPANHIA!

*fotos Pedro Barbeitos

Ver Crónica I diário de um ultrarunner

Anúncios