Crónica I diário de um ultrarunner

Já passou um mês!

31 dias de uma pré-época bastante atribulada! Acidentada mesmo!

Este ano posso afirmar que assumi o compromisso de levar a corrida a outro nível, ainda mais “sério”. Não que tivesse levado a brincar nos últimos tempos. Mas a verdade é que passou a ter título de época desportiva e programada para um ano inteiro.

Para esta primeira época, propus-me a desafios que exigem (ainda mais) treinos com uma disciplina acima da média. Mas possíveis de serem alcançados com muito suor e lágrimas.

Este ano continuo a contar com o apoio de João Ribeiro, mas com mais autonomia na definação do plano de treinos. Não significa mais folga e leveza, mas pelo contrário, mais exigência e responsabilidade de mostrar que tenho aprendido bem as lições.

Depois de fechar o calendário de provas-objectivo para 2015, preparei as 3 primeiras semanas de treino para ver como o corpo reagia. Desde 16 de Novembro que não corria de forma continuada,  tive a São Silvestre de Lisboa pelo caminho e mais nada.

fotografia 51º mês de treinos

No dia 5 de Janeiro, a título do meu aniversário dos 37 anos, comecei o plano com 10 kms calminhos, algumas dores do recomeço e um passeio à beira-rio agradável. Tudo teria sido fantástico, se no final do treino, uma dor lancinante não percorresse as minhas costas e arrastando-me durante o resto do caminho até a casa. Percorrendo o último km quase em 20 minutos.

Rapidamente percebi a causa desta dor. Há um mês atrás tinha sofrido uma queda pelas escadas do local onde estava a dar aulas. Uma queda bastante aparatosa que apenas parou no final das escadas. Na altura gelo pareceu resolver a questão, algumas dores que de vez em quando voltavam. Mas desta vez quase não podia andar. Gelo, gelo, voltaren e interrupção quase total dos treinos que mal tinham começado.

fotografia (4)

malditas escadas…só parei na parede

Na esperança que não fosse nada mais grave, fiz a semana 1 toda em low profile, com um medo pavoroso que estivesse em causa todo o ano. As dores lá foram passando e na semana 2 retomei em força, reduzindo um pouco a carga, já que a primeira semana apenas tinha feito 10 dos 50 kms previstos.

fotografia 2chuva…chuvinha…

Começar a semana 2 abençoado pelo um bom treino à chuva. A única dificuldade desta semana, foi mesmo conseguir encaixar os treinos com o trabalho e a família.Tudo com o panorama citadino de fundo, sem grande hipótese para matar saudades do trail.

Com a arrancar dos treinos, facilmente reaparece a necessidade de correr, o prazer imenso que preenche cada km e a procura de inspiração para tanta dedicação.  Recebo a informação da 2ª edição do Snow Trail Camp, organizado pelo Armando Teixeira e a sua equipa.

Como habitualmente lançaram um passatempo em que ofereciam uma inscrição e eu lá decidi candidatar-me ao posto. Com unhas e dentes, lá resolvi pôr mãos à obra e pôr todos os amigos e os amigos dos amigos a pôr like na minha participação para ganhar maior número de votos. Depois de uma passagem meteórica ao primeiro lugar, deslumbrado com o cenário de um estágio na neve, rapidamente percebi que faltavam 15 dias para acabar o passatempo e que não tinha disponibilidade para aguentar a pedalada do meu fiel “perseguidor”. Bastou assumir a derrota anunciada e continuar a treinar para terceira semana e sonhar com neve lá para zona do Piodão em Março no Inatel Ultra Trail.

Semana 3 com visita à zona de eleição de trail da cidade de Lisboa, Monsanto! Com o mau tempo dos dias anteriores tive direito a àrvores caídas e tudo. Não chega para matar as saudades do ar da serra, mas à falta de outras condições, aproveitamos o que temos à mão.

fotografia 6monsanto, uma autêntica piscina…

fotografia 7

árvores no sítio errado…

Remate da semana com 20 Kms muito doridos, pela marginal até ao escurecer. Primeiro longuinho de 2015.

fotografia 4

esqueci-me do frontal

Para terminar o mês em grande o surto de gripe apanhou-me na semana 4 e durante 7 dias passei a ser o paciente 3 cá de casa. Há muito tempo que não apanhava uma destas que deixou KO e só foi lá com antibiótico.

As crónicas de 2015 passam também a ter um registo vídeo feito pela Rollei Cam que o Pai Natal trouxe.

Foi um começo dos diabos! Venham mais kms!

Bons treinos em COMPANHIA!

*foto Pedro Barbeitos

*música do albúm una musica “rabelaisien” by The Links

Anúncios