Diário de um ultramaratonista 16/18

Batman G

Segunda-feira e logo me senti um verdadeiro cartoon à la Batman de tanto soco e pontapé que parecia levar.

Desde manhã que a coisa não estava famosa. Nos últimos tempos tenho horários de trabalho, treinos bastante preenchidos. E com o arrancar dos ensaios do próximo espectáculo a estrear no próximo dia 5 de Dezembro no Teatro da Trindade, o descanso tem faltado.

E no dia 27 de Outubro a minha mente baixou a guarda e o meu corpo aproveitou a oportunidade e começou a lançar alertas vermelhos. Sentia-me como se tivesse passado por um detector de metais e aquilo tivesse apitado por todos os lados.

Primeiro o pé esquerdo começou com dores no contacto com o João. As costas a reclamarem e as pernas pesadas, cansadas e o joelho esquerdo a fraquejar.

Esta semana estava previsto fazer um longão acima dos 45 kms. Em três semanas teria praticamente corrido 3 maratonas.O Trail da Lousã, o Duratrail e este treino . Mas as circunstâncias ditaram que teria de abrandar durante uns tempos e fazer uma visita ao “mecânico” João.

Quase duas horas de torce e estica e a máquina ficou com a direção afinada. Flexibilidade e SMR e um joelho apoiado foram a receita da semana. E dois testes de corrida no final da semana, 10 e 15 kms confirmaram a recuperação.

fotografia(1)

A causa da maleita não deixa dúvidas, falta de descanso e cerca de 900 kms nas pernas desde Agosto! Termino este mês com 302 kms realizados, quase todos por trilhos.

Altos e baixos fazem parte dos treinos e nestas alturas temos que ser práticos e resolver passo a passo.

SIGA!!!

Bons treinos em COMPANHIA!

* foto Pedro Barbeitos

Anúncios