Trail Serra da Lousã 2014

Como começar?

Agora com alguma distância consigo afirmar claramente que existe o antes TSL e depois TSL.

A dureza desta prova transformou a minha forma de encarar as longas distâncias, a gestão mental e física que são necessárias lidar com este desafio.

A logistica para esta prova foi preparada mais calmamente do que para o Grande Trail de Serra D’Arga, para a qual segui a mesma lista, sendo que em falta estavam os bastões perdidos pela Serra de Sintra.

Última vista de olhos na altimetria do percurso, abastecimentos e o descanso merecido do guerreiro.

altimetria_TSL_2014

Partindo de Leiria com a boleia da minha irmã, 5h15, hora de levantar, depois de tudo devidamente preparado na noite anterior.

Rumo a Castanheira de Pêra para recolha do dorsal e arranque do viria a ser a minha terceira maratona do ano.

Com o nascer de sol no decorrer da viagem, ao chegar a Castanheira, percurso devidamente identificado com setas até à zona de partida.

Momento para levantar o dorsal e ainda receber uma original oferta de uma árvore autoctone para plantar.

fotografia 2

o número da sorte (o material do dorsal podia ser mais resistente)

Este evento estava organizado por cinco provas nos dias 17,18 e 19 de Outubro: UTAX – 100 kms, TSL – 42 kms, Mini-Trail- 24 kms, Caminhos do Xisto (caminhada) – 20 kms, Axtrail Kids – 500 a 2500 metros e ainda Axtrail da inclusão para atletas com mobilidade reduzida, realizada com auxílio de joelletes.

Os atletas da UTAX já tinham partido pelas 00h00 e o arranque da TSL estava previsto para as 9h30. Com o atraso na entrega dos dorsais, a organização decidiu adiar o ínicio em 20 minutos. Para quem tinham acordado tão cedo não foi uma notícia muito simpática.

Enquanto se esperava na linha da frente, tentava rever mentalmente o percurso e a estratégia para os 42 kms.

Arranque em força para não ficar logo retido no primeiro single track.

10421155_1553218428244104_5826755197188771628_n

a partida

Tivemos logo umas subidas nos primeiros kms para aquecer, seguindo a premissa de seguir sempre a correr. Terreno muito técnico e à medida que subíamos o tempo com neblina cerrada e frio nas cotas mais altas, começa a dar o ar da sua graça.

522035_10153306291378448_6038079355992682804_n              sobe, sobe, atleta, sobe…

Perto dos 10 kms, primeira descida que me fez pensar duas vezes se chegaria ao fim. Lama, muita lama, onde eu e tantos outros descemos quase a esquiar com todas as partes do corpo. Mesmo antes de chegar a terreno plano, senti um verdadeiro Speedy Gonzalez a passar por mim e a alertar-nos  para a sua passagem relâmpago, era a máquina do Armando Teixeira.

Primeiro abastecimento no Talasnal, cinco estrelas, variedade e quantidade q.b.

E aqui começaram os acidentes de percurso, caminhos de pedra molhados e passo pelo primeiro lesionado, com um corte profundo na mão, depois de uma queda. O auxílio tanto por parte de outros atletas, como da organização, foi quase imediato. Apesar da persistência deste atleta em continuar, soube que não conseguiu concluir a prova.

A partir daqui o cuidado foi redobrado, não me impedindo, imediatamente a seguir de ter sofrido duas quedas com posturas acrobáticas dignas de um filme do Jean Claude Van Damme.

A vista durante todo o percurso é incrível, de uma beleza de cortar a respiração.

fotografiagrande reforço para a subida

Até meio da prova sempre a bom ritmo.  Agora seguia para a subida de Vilarinho e Trevim a 1205 m de altitude. Compensada depois com a descida até ao Coentral, o 3º abastecimento.

Neste percurso tive o prazer conversar um pouco com outro atleta que estava um pouco desmotivado e que de repente me diz que é seguidor do meu blog assíduo do Corridas & Companhia, palavras motivadoras para o último abastecimento.

E a partir daqui nos últimos 10 kms foram feitos por estradões e estrada, num percurso menos agradável até Castanheira de Pêra.

fotografia 5

E aqui senti também a variação dos tais 5 % anunciado pela organização mediante o registo gps que cada atleta utilizava. Na contagem final foram 43,1 kms.

Foi uma chegada com direito a fotografia final, na meta situada na Praça da Notabilidade, onde cheguei ao mesmo tempo que a primeira atleta feminina da UTAX, a grande Ester Alves.

.20141018_165353a meta

Direito a duche no final e  um belo prato de rancho.

Uma prova a repetir de certeza para o ano, talvez na versão ultra.

Terminei após 7:03:43, com uma média de 9’49”/km no 132º lugar da geral de 313 atletas e 79º lugar no escalão.

Resumo:

Pontos positivos | + organização  (5 estrelas)

Pontos negativos | atraso de 20 minutos na partida da TSL

 

video oficial da edição 2014

 

 

Boas provas em COMPANHIA!

* Fotos  Iolanda Barbeitos, Pedro Barbeitos, Marta Silva, António Pinto-Axtrail

Anúncios